Conheçam Meus Livros

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Em Busca da Fonte da Juventude


A quarta aventura do Capitão Jack Sparrow foi inspirada no livro On Stranger Tides (Por Estranhas Marés), de Tim Powers, e diferentemente dos filmes anteriores, nos traz uma história completa, em vez de outra trilogia.

Apenas três personagens dos filmes anteriores permaneceram na história: Capitão Barbossa, Joshamee Gibbs, e é claro, o Capitão Jack Sparrow, além de uma participação especial do Capitão Teague Sparrow, pai de Jack.

Nesta nova aventura, que apesar da troca do elenco não ficou devendo em nada aos filmes anteriores – embora eu não deixe de sentir a falta de Will e Elizabeth com seu eterno chove-e-não-molha, e dos divertidos Pintel e Ragetti –, somos levados em uma jornada, embora lendária, fundamentada em personagens e fatos históricos.

Aqui algumas curiosidades sobre a estruturação da história:

1)      O vilão da vez, o temido pirata Edward Teach, mais conhecido pela alcunha de Barba Negra, existiu realmente, e navegou pelos mares do Caribe e pela costa leste das colônias da América entre 1716 e 1718. E embora ele tenha se valido da fama de ser extremamente cruel, não há registros de que ele tenha assassinado ou machucado prisioneiros.

2)      Vingança da Rainha Ana foi, de fato, o nome com o qual Barba Negra batizou um navio mercante francês chamado La Concorde, do qual se apossou em 1717. De acordo com histórias, antes de se tornar pirata, Barba Negra foi marinheiro em navios Corsários durante a Guerra da Rainha Ana, o que certamente inspirou o nome do navio. Cerca de um ano depois, ele encalhou o Vingança da Rainha Ana num banco de areia perto de Beaufort, na Carolina do Norte. Há contradições quanto a isso ter sido um acidente ou uma escolha do capitão para deixar parte da tripulação para trás.

3)      Juan Ponce de León, citado como dono dos cálices que devem ser usados no ritual da Fonte da Juventude, foi um explorador espanhol que, de acordo com algumas histórias, se engajou na busca pela tal fonte após conhecer a lenda através dos nativos do Caribe. Foi nesta busca que ele chegou à Flórida, onde, por causa da vegetação paradisíaca que supostamente envolve a Fonte, acreditou ser o local de sua existência. Foi gravemente ferido pelos índios e levado de volta para Cuba onde morreu, sem alcançar o tão sonhado manancial.

4)      A princípio, Ponce de León foi informado pelos nativos de que a Fonte da Juventude ficaria ao norte de Cuba, numa ilha chamada Bimini, também conhecida como “Isla de La Juventud”. Talvez por esta razão o mapa de Jack Sparrow mostre Cuba como sendo a localização da Fonte.

Enfim, vamos à história:



Os espanhóis zarpam antecipadamente em busca da Fonte da Juventude, enquanto em Londres os ingleses se preparam para o julgamento do Capitão Jack Sparrow e seu enforcamento. Mas quando a audiência começa, o pirata julgado é Joshamee Gibbs, que julgado pelo astuto pirata, é considerado culpado de ser inocente de ser Jack Sparrow. Complicações de oratória à parte, Gibbs e Jack fogem numa carruagem que supostamente os levaria ao litoral, porém são capturados pelos ingleses, mas não antes de Gibbs revelar a Jack que um impostor está recrutando uma tripulação em seu nome.


Jack é levado à presença do Rei George, onde anuncia que pode guiar uma expedição à Fonte da Juventude, e descobre que Barbossa, agora com uma perna a menos, é um corsário a serviço de Sua Majestade.




Numa nova fuga inusitada à la Jack Sparrow, que inclui um lustre, uma rosquinha, a tapeçaria real, uma velha no cio, e uma carroça de carvão, Jack reencontra seu pai, Capitão Keith Richards Teague, que indaga sobre a tal tripulação que Jack supostamente está reunindo.




Na taverna, Jack encontra a pessoa que o roubou e luta com ele para se pegar de volta, tascando inclusive uma beijoca nele mesmo. Acontece que o impostor é uma mulher chamada Angélica, a quem Jack iludiu e abandonou no passado, e que jamais o perdoou, o que é bastante curioso para uma mulher que pretendia ser freira.



Sparrow e Angélica fogem da guarda inglesa por um alçapão na taverna e caem no mar. Enquanto isso, Gibbs queima o mapa, o qual já decorou, diante de Barbossa, para que o aceite em sua tripulação como guia até a Fonte da Juventude.


Jack agora é um prisioneiro a bordo do mundialmente infame Vingança da Rainha Ana, o navio do lendário Barba Negra, cuja tripulação foi zumbizada pelo Capitão para que se tornassem mais obedientes, mas isso resultou num constante mau-humor.


No alto do mastro há um Missionário amarrado, cuja vida o Imediato não permitiu que fosse tirada. Então Jack descobre que o Imediato de Barba Negra é Angélica, sua filha perdida e recém-encontrada (filha de Barba Negra, não de Jack!), e descobre que Barba Negra precisa da Fonte por causa de uma profecia que diz que ele encontrará a morte em duas semanas nas mãos de um homem de uma perna só. De onde veio a profecia? Provavelmente nunca saberemos, e não sei se o próprio Barba Negra chegou a saber. Talvez nosso antigo amigo Gilette conheça a resposta:



De volta à quarta aventura, Barbossa, o Corsário avista o navio espanhol, no entanto não valem o tempo que perderão para afundar um ao outro, então ambos seguem seu caminho sem a necessidade de uma luta naval. (Há boatos de que alguém tentou diminuir os custos de produção evitando grandes cenas no mar.)



Jack convence os prisioneiros a fazerem um motim, pois não acredita que aquele seja mesmo o navio de Barba Negra, pois ninguém ali navegou com ele antes, nem o viu sair da cabine, o que, para seu azar, era um engano. Assim que os amotinados tomam o navio, Barba Negra dá o ar da graça e com alguns movimentos de uma espada enfeitiçada, faz as cordas do navio se voltarem contra os amotinados. Não contente em provocar o pânico nos rebeldes, ele põe o vigia num bote e o manda para o mar, onde dispara dois tiros de fogo que o matam.



Eis a lenda de Barba Negra: Edward Teach foi decapitado, mas seu corpo nadou três vezes ao redor do navio, subiu a bordo, e lá está ele.


O motim foi bem útil para Jack, pois lhe conseguiu uma audiência com o Capitão, onde acaba confessando que “muito sem querer” colocou Angélica no caminho da perdição, mas não é culpado por seu talento natural para a coisa, e afirma que ela mente quanto a ser filha de Barba Negra. Ela chega bem a tempo de impedir que o Capitão mate Jack através de um boneco de vodu, mas ele ameaça queimar o boneco na chama de uma vela caso não chegue à Fonte da Juventude a tempo.



Barbossa leva seu navio em direção à Baía da Espuma, um lugar que muitos homens temem, mas poucos sabem por que, e não ousam perguntar. Aquelas águas são habitadas por sereias, demônios do mar, loucos por carne humana, que costumam deixar apenas os ossos de suas vítimas, bem branquinhos. Um homem, assustado com a história, se atira no mar, e Barbossa o considera um desertor, decidindo não resgatá-lo.


Jack prepara um clima romântico para um encontro com Angélica, com direito a vinho, música e luz de velas, e relembram os velhos tempos.



Aparentemente foi ele quem desonrou a donzela, no entanto, ele duvida que realmente tenha sido.


Então um seduz o outro e ela acaba revelando os itens necessários para o ritual profano que deverão realizar na Fonte da Juventude: a água da Fonte, a lágrima cintilante de uma sereia, e os cálices de prata de Ponce de León – com estas coisas podem tirar todos os anos de vida de uma pessoa. Ou seja, o ritual precisa de uma vítima!


Angélica convence Jack a ajudar a chegar à Fonte em troca de lhe devolver o Pérola Negra, que neste momento está preso numa garrafa, trancado num armário a bordo do Vingança da Rainha Ana. Barba Negra guarda todos os navios como prêmios, e curiosamente, o macaco Jack ainda está a bordo do Pérola dentro da garrafa.


Finalmente, Barba Negra chega à Baía da Espuma, lança as redes ao mar, e acende a luz da torre abastecida com óleo de baleia para chamar suas “delicadas candidatas”. Deixaram um bote na água com Scram, o Missionário Philip, um zumbi, e alguns homens para servirem de isca, e eles começam a cantar para atraí-las. A primeira a aparecer seduz Scram, que quer ser beijado por uma sereia, mas os outros impedem que ele seja levado para as profundezas. Então a Sereia canta para invocar as outras. A partir daí segue-se uma luta dos marujos contra essas criaturas sombrias, para escapar de um destino cruel. Para acabar com o tumulto e evitar a baixa de marinheiros, Jack sobe ao alto da torre e fura o tanque de óleo, provocando uma enorme explosão.



Uma sereia salva Phillip de ser atingido pelos destroços incendiados, e acaba sendo capturada pelos piratas.


Barbossa neste momento está apenas um passo atrás de Barba Negra, e tem seu navio afundado pelas sereias, mas mesmo assim continua a ameaçar o pobre Joshamee Gibbs.





E seguem a pé sob a liderança de Gibbs.


Os homens de Barba Negra prendem a sereia no aquário e a levam pela ilha, pois lágrimas evaporam, e precisam delas úmidas. Então Angélica finalmente revela o restante do ritual a Jack: ambos os cálices de Ponce de Leon levam a água da Fonte da Juventude, mas apenas um cálice leva a lágrima da sereia. Quem beber do cálice com a lágrima ganha todos os anos que a outra pessoa viveu e os que poderia ter vivido se o destino permitisse.


Philip, neste momento mais encantado com a sereia do que preocupado com a salvação das almas dos perversos, percebe que ela não consegue respirar dentro do aquário fechado, pois apesar da água, ela precisa de ar. Então, ele abre uma fresta na tampa.



Chegam então a um beco sem saída. Há um abismo, e eles não têm tempo de contornar a montanha (um dia de caminhada, para procurar os cálices e chegar à Fonte). Obrigam Jack a pular, transformando Angélica na vítima de uma roleta russa e atirando o boneco de vodu de Jack na água para garantir sua sobrevivência.



Agora descobrimos o novo hobby de Barbossa: capturar grilos inocentes em vidros de maionese. Um fato narrativamente irrelevante, mas curioso sobre a personalidade do velho Barbossa, que preencheu um minuto de cena na ilha.


O aquário se quebra e a sereia ganha um par de pernas inúteis. Cabe ao nosso – permitam-me o comentário – charmoso Missionário carregá-la nos braços o resto do caminho. Tenho a impressão de que ela podia andar...




Finalmente, Jack encontra Santiago, o navio famoso por ser capitaneado por Ponce de Leon, que está equilibrado sobre um abismo. O esqueleto do capitão jaz sobre a cama, e sabe-se lá por que razão o homem morreu enquanto examinava um mapa com a lupa. E além do velho e decomposto espanhol, Jack reencontra um velho amigo: Barbossa! Porém os cálices foram retirados da caixa antes da chegada dos dois pelos espanhóis, que passaram à sua frente na corrida para Fonte da Juventude. Então Jack se une à Barbossa para atacar o acampamento dos espanhóis e recuperar os cálices.


Enquanto isso, Barba Negra amarra Serena, a sereia – o nome foi dado pelo Missionário abobalhado, digo, apaixonado – com metade do corpo na água, para que seque ao sol, uma morte lenta e dolorosa. A princípio, ele pretende torturá-la para conseguir uma lágrima, ou arrancá-la à força detrás dos olhos, mas ao perceber que ela gosta do Missionário e que ele corresponde, ameaça matá-lo diante dela, e por fim, um dos marujos corta a garganta dele, mas ela não chora. Sereias são duras demais para derramar lágrimas de tristeza.


Não muito longe dali, Jack informa Gibbs dos últimos acontecimentos, incluindo seu reencontro com a mulher que chutou em Sevilha, por quem ele afirma ter sentido certos “arrepios”.




Não é que o Jack rejeite os próprios sentimentos, mas não se esqueçam de que outra donzela por quem ele andou se arrepiando nessa saga o jogou na boca do kraken!


Em seguida, Jack e Barbossa recuperam os cálices no acampamento dos espanhóis e saem de fininho, mas acabam sendo capturados e amarrados nas árvores.


Enquanto isso, o Missionário ressuscita e começa a desamarrar Serena, que, comovida com sua sobrevivência e por ele se importar de verdade com ela, derrama a tão cobiçada lágrima, que é coletada num frasco por Barba Negra. Em seguida, ela é novamente amarrada e abandonada à própria sorte, a contragosto de Philip que é levado por eles.



Após beber um gole de rum da perna do Barbossa, e ouvir a fascinante história sobre como Barba Negra capturou o Pérola Negra, fazendo-o se voltar contra a tripulação, Jack decide ajudar Barbossa a matar o vilão. Num espetacular show de improviso à la Jack Sparrow – sem esquecer que é Capitão – ele sobe pelo coqueiro para afrouxar as cordas na parte mais fina do tronco e poder escapar, catapultando-se sobre outro coqueiro, o que o inglês de vigia entendeu como o sinal de Barbossa para resgatá-lo. Então finalmente, Jack, Barbossa e a Marinha Real Britânica fogem com os cálices.




Jack detém Angélica no caminho com a espada e mostra os cálices amarrados num porco segurado por Gibbs – nem quero imaginar porque havia um porco numa ilha deserta do Caribe! Jack pede a bússola de volta e a liberdade de Gibbs em troca dos cálices.


Finalmente, depois de todo esse esforço, Jack percebe que naquele misterioso lugar o orvalho cai para cima, de modo que a gruta só pode ser a entrada para a Fonte da Juventude.




Ao ler a inscrição nos cálices: “Água da Vida”, a água surge no chão e sobe pelas paredes da gruta, formando um lago no teto, para onde Jack estende a espada e se deixa ser puxado para cima. O santuário abriga um lago, um círculo de pedra – a Fonte da Juventude – e uma mata nevoenta. E assim que chegam ao seu destino final, Barba Negra e seus homens são surpreendidos pelo Homem-de-uma-perna-só, Barbossa, que declara guerra ao temido pirata, convicto de que estando tão longe de seu navio, a espada encantada não terá poder algum.


Começa uma tremenda confusão, como sempre. Um menino corta as cordas que amarravam os pulsos do Missionário, que é ferido na barriga antes de escapar da Fonte, enquanto Angélica, Jack e Scram brigam pela posse dos cálices e da lágrima.


Philip chega ao lago e se desespera por pensar que Serena está morta. Quando desperta e se vê livre das amarras, ela foge pela água.


No meio da agitação, os espanhóis chegam para acabar com a festa, amassando os cálices (e eu nem sabia que prata amassava tão fácil!) e jogando-os no lago, e começam a destruir o templo profano da água pagã.


Então, cumprindo seu incontrolável desejo de vingança, Barbossa aproveita um breve momento de distração de Barba Negra para cravar-lhe a espada, cuja lâmina foi embebida em veneno das tripas de sapos venenosos. Um arranhão teria bastado para que Barba Negra morresse em minutos.




Então ele vai embora para se apossar do Vingança da Rainha Ana como pagamento por sua perna decepada.


Angélica, muito descuidada, corta a mão na lamina da espada de Barbossa, deixando Jack aflito. Serena lhe traz os cálices das profundezas do lago, e os entrega à Jack, que recolhe as últimas gotas da Fonte destruída, e põe a lágrima da sereia num dos cálices, mas na hora de servir os moribundos, ele mente sobre qual tem a lágrima, para que Barba Negra dê seus anos de vida à Angélica. A ferida dela sara imediatamente, enquanto seu pai é envolvido por um redemoinho com as águas da fonte, que o disseca até só restar ossos vivos, que logo caem mortos, deixando Angélica horrorizada, porém viva e saudável.



E a profecia falhou: não foi o homem de uma perna só que matou Barba Negra; foi o trambique do Jack!


Philip lava o ferimento no lago onde Serena esteve amarrada, e ela chega para resgatá-lo, curar sua ferida, beijá-lo e arrastá-lo para as profundezas. Se ele viveu ou virou o jantar da moça nós provavelmente só saberemos com certeza no quinto filme que, pelo que parece, já foi confirmado... Se eles forem citados no tal filme!


Enfim, Angélica agora está furiosa com Jack por ele ter ajudado Barba Negra a fazer o que qualquer pai teria feito sem ajuda: salvar a vida da filha. Então ele a abandona numa ilha deserta com uma pistola e uma única bala, numa rota mercante onde ela pode fazer sinal para um navio que passar.


 

Ela tenta seduzi-lo para que não a deixe para trás, mas ele vai embora, fazendo-a desperdiçar a única bala num tiro mal mirado contra ele.


Barbossa se apossa do navio de Barba Negra, com a espada do patife. A coroa britânica lhe serviu bem, mas como ele não nasceu para o corso, agora vai para Tortuga.

 

Jack encontra Gibbs numa ilha, com a garrafa do Pérola Negra e mais uma esquadra dentro de um saco. Agora seu próximo desafio é tirar o Pérola de dentro da garrafa.



E como uma grande ironia do destino, o mar leva uma pequena oferenda para Angélica na ilha onde foi exilada: o boneco de vodu do Capitão Jack Sparrow!