Conheçam Meus Livros

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Desafio #9: Vida Louca Vida – Infelizmente – Vida Breve



O desafio de setembro tinha o nome dele gravado desde que vi a convocação. Guardei o livro com o maior carinho, dei várias espiadinhas ao longo do ano, li trechos, mas soube esperar. O tema música não podia ser, para mim, sobre outro artista, senão Agenor de Miranda Araújo Neto, ou mais propriamente, Cazuza.



O livro Cazuza – Só As Mães São Felizes é um relato concedido por sua mãe, Lucinha Araújo, à jornalista Regina Echeverria, sete anos após a morte deste, que foi um dos maiores poetas da música brasileira. Um dos maiores, porque não se pode menosprezar o trabalho de outros compositores; porém, seu estilo de poesia, seus versos, e a maneira como ele reescreveu a história do rock brasileiro, o tornaram um artista único.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Já Colou!




Não dá para negar: sitcom é um formato de comédia para TV que nunca vai ficar ultrapassado. E a televisão brasileira é mestra em emplacar sitcons de sucesso. Tempos atrás eu falei aqui no blog sobre Sai de Baixo e Toma Lá Dá Cá, provavelmente os sitcons de maior sucesso no Brasil (além de A Grande Família, é claro), e agora chegou a vez de falar do programa que foi a melhor estreia do ano passado, e que atualmente está no ar com sua segunda temporada no canal a cabo Multishow.


O próprio nome do programa já dá o tom da aposta: Vai Que Cola! Com grandes nomes da comédia brasileira no elenco, e totalmente inspirado em humorísticos consagrados, como os já citados Sai de Baixo e Toma Lá Dá Cá – programas gravados ao vivo diante de uma plateia –, Vai Que Cola com certeza colou, e conquistou o público da emissora, tornando-se o programa brasileiro de maior audiência da TV por assinatura em 2013.

A história se desenrola numa pensão no Méier, zona norte do Rio de Janeiro, onde o malandro Valdomiro Lacerda (Paulo Gustavo, de Minha Mãe é Uma Peça) se refugiou, após participar e se tornar bode expiatório de um famigerado golpe na Beta Engenharia, empresa da qual era sócio, e que deveria ter construído um abrigo para velhinhos, projeto este que não foi realizado, pois Valdomiro e outros sócios passaram a mão na verba. No entanto, os comparsas de Valdomiro também passaram a perna no malandro, sumiram no mundo com o dinheiro roubado, e o deixaram para trás para levar a culpa da falcatrua.