Conheçam Meus Livros

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

O Rebu de Natal



Vamos relembrar o Natal de uma das famílias mais divertidas da televisão?

Peguem aí uma pipoquinha – ou um panetone – e Sai de Baixo!



Nossa história começa com Magda, a burrinha mais querida do Arouche, escrevendo uma cartinha para o Coelhinho da Páscoa:
Sirene, a empregada, chega, perguntando se Magda não vai participar do presépio vivo do bairro. Porque, afinal, lá tem vaquinha, tem cabritinho... Só falta uma mulinha. Mas Magda tem preocupações maiores no momento, porque ela acaba de perceber que aquele apartamento não tem chaminé.
Isso faz Sirene se lembrar da única vez em que o Papai Noel foi à sua casa. Nunca mais ele voltou, só porque ela e seus irmãos pegaram as renas dele para fazer um churrasco, porque eles estavam com fome. Então, Magda a convida para cantarem juntas, para espantar essa tristeza.
Então ela deixa Magda sozinha na sala, cantando seu maravilhoso Jingle de Natal:
Enquanto ela vai tentar arranjar um jeito de enviar sua cartinha de Natal ao Coelhinho da Páscoa, Caco chega em casa, soprando um apito, seguido por um bando de Papais Noéis, que se enfileiram na sala, como um pelotão diante do comandante. Acontece que, esse ano, Caco decidiu bancar o bom samaritano, liderando uma campanha de coleta de donativos para ajudar no Natal dos pobres. Mas como ele tem horror a pobre, é claro que tudo não passa de uma maracutaia para encher seus próprios bolsos no fim do ano a custa do espírito natalino dos outros.


Mas ele não é o único que está tentando passar a perna em alguém com essa campanha. Quando vai fazer a primeira revista nos sacos dos Papais Noéis, ele descobre que Ataíde malocou o dinheiro que arrecadou no bolso da fantasia, e o demite.
Ataíde não dá a mínima para a demissão, e Vavá chega em seguida, queixando-se de que não conseguiu arrecadar nada, porque a criançada tem medo dele. Então Caco manda os Papais Noéis voltarem para a rua, para arrecadar mais dinheiro, e divide o que já foi arrecadado, deixando Vavá responsável por cuidar da parte dos pobres.
Daí ele explica que essa divisão é porque eles não podem acostumar mal o pobre, senão eles vão querer colocar mais coisas dentro da farofa e tomar muita groselha.
Vavá continua revoltado, mas concorda em voltar para a rua, porque sabe que uma parte do dinheiro vai ser revertido para os pobres. E também porque ele está interessado na Mamãe Noel do mercadinho do Arouche.


Cassandra e Magda chegam das compras, e Cassandra comenta que esse é o melhor Natal dos últimos anos. No ano anterior, tiveram que fingir que a ceia estava farta fantasiando o Ataíde de peru. Magda faz questão de observar que esse ano o Natal só está bom graças ao Caco, que colocou um monte de Papais Noéis juntos para pedir dinheiro, ao que Cassandra desconfia que ele esteja aprontando alguma. E conta o sonho maravilhoso que teve naquela noite: ela sonhou que o Caco seria pego roubando, e quando soassem as doze badaladas da meia-noite, ele iria preso.
Magda, então, lembra à mãe que ela deveria estar pelas ruas praticando boas ações, dando milho aos cegos, e ajudando os pombos a atravessarem a rua, em vez de ficar rogando pragas para o Caco.


E nesse momento, Sirene chega chorando, com saudade de sua família.
Então, Magda a aconselha a ir passar o Natal com sua família; afinal, Natal é uma data que, segundo ela, só ocorre duas vezes por ano. Mas Sirene diz que sua mãe já avisou que a ceia de Natal esse ano é bala: se ela ou os irmãos forem lá filar a boia dela, ela manda bala neles!


Cassandra aproveita a deixa, e pergunta qual será o papel da empregada no presépio do bairro: se é um bicho que faz “Muuu” ou que faz “Bééé”.
Cassandra, que parece não ter nenhum espírito natalino, também aproveita a chegada de Caco para dar uma alfinetada:
E diz que está torcendo para que o seu sonho de Natal se realize: aquele sonho em que ele ia em cana, e participava da ceia dos presos no papel de presunto. E como nessa família é cobra comendo cobra, Caco rebate a praga dela com outra tão ruim quanto a que ela rogou para ele:
 Magda, que parece ser a única pessoa com verdadeiro espírito natalino naquela família, conta para Ataíde qual foi o presente que ela comprou para ele: algo que começa com dois “Ss”, e termina com “aia”.
Como Magda e Ataíde conhecem bem a empregada, e sabem que ela não leva desaforo para casa, mas que também não vale o meio metro de pano que veste, deduzem que ela deu meia hora para o homem tirar a mão dela. Ofendida, ela garante que não é assim. Diz que é uma lady; que ela e seu diretor Dênis Carvalho são da mesma estirpe, e não gritam com as pessoas. Daí ela conta que subiu na manjedoura, olhou bem no olho do rei mago safado, e falou ladymente:
Magda a adverte de que, se ela continuar com esse comportamento Papai Noel não vai lhe trazer presentes.


E falando em Papai Noel, Caco está desconfiado de que o Papai Noel Vavá está escondendo o dinheiro arrecadado, e adverte-o de que, se tiver que revistá-lo, não vai sobrar nenhum orifício, nenhuma cavidade. Vavá, porém, garante que só o que lhe deram foi um saco vermelho, e com a sorte que ele tem, dentro dele deve ter uma bomba.
Nesse momento, a campainha toca. Sirene, que está limpando uma poltrona, observa que Caco não faz qualquer menção de ir atender, e dá uma cutucada.
E quem é que ela encontra à sua porta?
Caco, porém, dá um passa fora na empregada, dizendo que aquele Papai Noel não é para o bico dela. Até porque o bico dela deve bater no joelho dele. E a manda preparar alguma coisa para ele comer, ao que Ivo aproveita para dizer que está louco para provar a famosa dobradinha do Arouche que ela faz.
Então, Caco aproveita que está sozinho na sala para abrir o saco que tomou do Vavá, e fica deslumbrado ao descobrir que dentro dele há outro saco, de veludo preto, com o presente que ele sempre pediu a Deus... Ou, quem sabe, ao Papai Noel...
Mas Vavá quer dar àquele milhão de dólares o destino que tinham prometido na campanha, ou seja: doar tudo para os pobres.
E como Vavá insiste em fazer a coisa certa, Caco tenta tomar o saco dele na marra.
Ataíde interrompe a briga nesse momento para pedir seu emprego de volta. E como Vavá acaba de ser demitido, seu lugar ficou vago na campanha, então, Caco resolve readmitir o baixinho. Vavá não dá a mínima, e decide ir pedir emprego no corpo de bombeiros para aproveitar a roupa vermelha. Ivo, porém, repreende Caco, dizendo que seu espírito de Natal só serve para apreciar a rabanada da vizinha. Ataíde aproveita a deixa para contar sobre uma vez que o Caco filmou o Vavá pelado tomando banho e vendeu para um site de comédia pornô. Humilhou o Vavá! Caco, porém, decide pôr um fim naquela discussão, mandando-os voltar para a rua para arrecadar dinheiro, inventando qualquer história: que Mamãe Noel está pedindo divórcio, que ela quer uma pensão, uma fortuna... Ao que Ataíde garante que vão arrecadar tanta grana que não vão precisar de trenó, vão precisar de um carro forte!


Nesse momento, Magda chega com o presente de Natal do Caco: gravatas de grife, assinadas com o nome do costureiro: Made in Taiwan! E, como Caco ainda está com o saco de veludo na mão, ela pensa que é seu presente de Natal, e decide ver o que é.
Então ele pega o saco de volta e o leva para o quarto. Bem na hora em que Cassandra chega soltando fogo pelas ventas, porque estava vendo umas vitrines, foi confundida com uma árvore de Natal, e lhe atarraxaram uma lâmpada na boca.
Então, Magda conta as novidades para a mãe, sobre a doação milionária que fizeram para a campanha do Caco, com um dinheiro estrangeiro, aquela nota verdinha que ela acha que é de Marte. Cassandra suspeita de um golpe do Caco, e percebe que tudo está contribuindo para que a sua maldição se concretize: à meia-noite ele estará na cadeia.


Sirene chega reclamando de que só recebeu um cartão, e foi do dentista. E com um P.S.: “Se não pagar o que lhe deve, a polícia vai arrancar as obturações”. Então, Magda, preocupada, pede que sua mãe deixe Sirene dormir no quarto dela, nem que seja na gavetinha do criado-mudo, porque do jeito que ela está deprimida, ela pode querer se suicidar, se atirando de cima do pufe.
E já que Cassandra praticamente a está adotando, Sirene pede uma mesada, porque a única mesada que ela recebeu na vida foi quando tirou zero na prova e seu pai lhe deu uma mesada nas costas. Então, Cassandra promete apresentá-la a alguns novos amigos: a escova de dentes, a escova de cabelo e o desodorante.
Ataíde chega bravo, porque Ivo arrecada mais dinheiro do que ele com as mulheres. E Vavá chega mais bravo ainda porque não conseguiu emprego no corpo de bombeiros. Riram dele, e ainda lhe mandaram regar o jardim do batalhão. Então, Ivo sugere que ele peça emprego ao departamento de trânsito, porque gordinho, baixinho, barrigudinho e de vermelhinho, ele pode ser cone de rua.
Vavá e Ataíde voltam para a rua e deixam Ivo sozinho na sala. Mas ele não fica sozinho por muito tempo, pois logo chegam Cassandra e Sirene para babar em cima do Papai Noel.
No entanto, o flerte das duas com o Papai Noel é interrompido pela chegada de Magda, carregando um saco vermelho. Então, as duas disfarçam, dizendo que só queriam doar para ele, porque no Natal é doando que se recebe. E, aproveitando a deixa, Cassandra se lembra de que tem que pagar à Sirene o 13° salário de 1998. Detalhe: esse episódio é de 2001!


Sozinha na sala com Ivo, Magda comenta que Caco separou muita coisa bacana para dar para os pobres: soco inglês, porrete, pó de mico, antraz...
Então, Ivo decide aproveitar-se mais um pouquinho da burrice de Magda, e tentar descobrir o quê Caco pretende fazer com os dólares que arrecadou na campanha.
Magda sai furiosa, e Caco chega logo em seguida, todo sorridente, dizendo o quanto adora dólares, porque aonde quer que ele vá, eles vão junto, não reclamam de nada, e ainda pagam a conta. E é quando Ivo revela que não é o Papai Noel que parece: pois, como há uma crise lá no Polo Norte, ele está precisando de uns donativos para encher seu saco de presentes; e como ele ficou sabendo que Caco anda por aí com uns dólares sobrando, ele decidiu que o trambiqueiro vai financiar seu Natal por livre e espontâneo medo de virar o presunto da ceia.
Então, começam a vasculhar o apartamento em busca dos dólares roubados. E é quando Ivo se recorda que viu Magda sair do apartamento com um saco as costas. E como não perde a oportunidade de participar de um golpe, Caco se propõe a descobrir onde ela escondeu o dinheiro, contanto que Ivo lhe dê metade da bolada.
E assim que Magda chega, Caco, com todo o “carinho do mundo”, pede que ela lhe diga onde está o dinheiro, antes que ele vire um peru de Natal recheado de balas. Só que desta vez ela não está disposta a colaborar, pois sabe que mantendo esse dinheiro longe das maracutaias do marido, ela está garantindo seu lugar lá na arca do Papai Noé.
Ela vai para o quarto, sem revelar coisa alguma, e Ivo volta com a ideia de prometer um torrão de açúcar para Magda, em troca do dinheiro.
Vavá chega outra vez, reclamando de que foi participar do presépio, lhe botaram um chifre e lhe mandaram ser a rena do trenó. E é quando ele vê a arma na mão de Ivo, e percebe que o Papai Noel está assaltando a casa.
Então, Papai Noel 1-7-1 tranca os dois no lavabo.


E agora é a vez de Cassandra chegar em casa reclamando, porque Sirene a levou num almoço com as domésticas do prédio, elas estão todas de folga e lhe obrigaram a lavar a louça. Mas Sirene não a deixa contar a fofoca pela metade, e entrega que “o panetone gigante” quebrou a louça toda, e escondeu os cacos no cabeção para não ter que pagar. E só então elas percebem o “brinquedinho” perigoso que Ivo tem na mão, e se dão conta de que ele é um bandido.
E como ninguém respeita as ordens de um bandido que se fantasia de Papai Noel, e Ivo se esqueceu de trancar a porta por fora, Vavá e Ataíde saem do lavabo, com Vavá reclamando que ver o baixinho se aliviar no lavabo, tudo bem, mas olhar para ele e dizer “manhê, acabei”, aí também não... Ao que o baixinho esclarece que precisava de um pepé para descer do troninho. Daí Ivo coloca ordem no galinheiro, manda Vavá e Cassandra pra cozinha, e tranca Sirene e Ataíde no lavabo.
Agora que a confusão está controlada, e a família está temporariamente fora de cena, Caco dá uma barba branca para Ivo, para que a Magda acredite que ele é mesmo o Papai Noel e conte para ele onde colocou o dinheiro. A princípio, o plano parece estar dando certo: Magda senta no colo do Papai Noel, começam a conversar... Mas daí ela percebe que a barba do Papai Noel está torta.
Caco perde um pouco a paciência, e tenta apressar Magda a contar onde está o dinheiro, mas antes ela aproveita para tirar uma dúvida: porque, como o Papai Noel usa aquela barba branca, e só chega à meia-noite, ela desconfia que ele é o Jô Soares. Ele nega, e promete que, se Magda lhe entregar o dinheiro, no ano que vem, quando trouxer os presentes, vai trazer uma boneca linda para ela. Animada com a proposta, ela conta que enterrou o dinheiro no playground do condomínio. Depois regou bastante, botou um monte de adubo, o dinheiro já deve estar valendo dois milhões.


E enquanto ela sai para buscar a grana, Cassandra volta à cena, gritando que vai despedir a empregada.
Magda volta logo com o dinheiro, mas como ficou um pouco de tempo enterrado, deu uma apodrecida, só deve estar valendo uns quinhentos mil agora. Caco toma o saco da mão dela e começa agir como... bem, como o Caco Antibes, mesmo. Só que, desta vez, ele tem uma desagradável surpresa.
Para absoluta alegria de Cassandra, pois isso acontece precisamente quando começam a soar as doze badaladas da meia-noite, como ela disse que iria acontecer. Mas Caco, que não é bobo nem nada, finge que vai estrangular o cabeção, e aproveita a confusão para tentar fugir, mas ao abrir a porta, é cercado por um monte de Papais Noéis, todos armados, e prontos para impedir sua fuga.
Isso não é piada, não! Era mesmo o coral da USP! Eles foram até lá para enquadrar o Caco, e cantar uma linda canção de Natal em sua homenagem.
Então, Ivo confessa que plantou aquela grana no saco do Vavá só para pegar o Caco, porque só esse ano, ele já vendeu o Ibirapuera pra índio, roubou o cartão do Vavá, e traiu a Magda. Isso sem falar nas noivas de Copacabana que ele matou. Uma delas era sua noiva. Ele só não explicou de onde foi que ele tirou aquele milhão de dólares para plantar na campanha do Caco... Melhor abrir uma investigação, e verificar direito isso aí.


Como é Natal, Caco tenta negociar um induto, mas, como Ivo não está a fim de conversa, Sirene e Ataíde, desolados com a prisão do patrão, preparam algumas coisinhas para ele levar para a cadeia: Sirene pôs um frango numa quentinha, e Ataíde preparou um kit cadeia – ou melhor, um kit para fugir da cadeia: com lima, serrote, pá e um mapa dos esgotos. E eu nem sabia que eles gostavam tanto assim do Caco. Provavelmente, nem o Caco sabia que era tão querido. Vai ver, ser preso no Natal é o que amolece o coração das pessoas.
Ivo tenta dar voz de prisão aos criadinhos, por tentarem ajudar na fuga de Caco, mas eles fogem antes que alguém apareça com uma algema tamanho PP.


Cassandra também aparece para assistir de perto à prisão do querido genro, e poder tripudiar um pouco sobre sua desgraça, e Vavá, o mais comovido de todos, também decide lhe dar um presente de despedida.
Magda implora ao policial que a leve presa no lugar do Caco, mas como o Ibama não permite a criação de antas em cativeiro, ele nada pode fazer a respeito. Ela insiste, diz que não tem como visitar Caco no xadrez, porque nem sabe jogar esse jogo, e se Caco for embora ela vai morrer de saudades, mas Vavá diz que basta ela abrir o jornal no caderno policial para matar a saudade do marido.


Caco, aliás, está conformado com seu destino, e vai até o quarto para se despedir de suas roupas importadas, e Ivo vai junto para evitar que ele fuja.
Magda ainda tenta conseguir que Caco possa ficar preso em casa mesmo: ela promete colocá-lo numa gaiolinha, botar alpiste e trocar o jornalzinho todo dia. Vavá concorda que aquele é o pior Natal da vida deles, porque, embora Caco seja um ladrão, ele é da família. E, além do mais, todos eles roubam alguma coisinha de vez em quando. Ele mesmo, vive assaltando a geladeira de noite...


Ataíde também tenta bancar o advogado do diabo, argumentando que, como Caco passou a infância na FEBEM, e a adolescência no Carandiru, na profissão de preso, ele já está aposentado por tempo de serviço.
E como Ivo não quer saber de conversa, Vavá se rende; mas, como é Natal, não vai deixá-lo sair de sua casa sem um presentinho.
Então, a família aproveita que o policial está sensibilizado para fazer um último apelo pela liberdade do Caco; afinal, ele é um bandido de família, que tem um nome a zelar, e uma família a assaltar. No fim, até o Cabeção da Cassandra concorda que Caco deve ficar em liberdade. Então, Ivo concorda em liberá-lo, mas só porque é Natal e porque ele gosta muito daquela família. E reconhece que eles têm muita sorte, porque eles são malucos, mas têm uma família, enquanto que ele não tem ninguém. Comovido, Vavá o convida para passar o Natal com eles.
Com tudo resolvido, a família finalmente troca os presentes, mas, como Ivo observou, o melhor presente é ver a família unida, e saber que ninguém está roubando ninguém.

É o que também desejo eu a todos os meus queridos leitores: um feliz Natal e um maravilhoso Ano Novo!



2 comentários:

  1. Boa Tarde, gostaria de saber se você teria como disponibilizar para download no mega ou em outro servidos, este episódio?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite. Disponibilizado por mim, infelizmente não. Mas é possível que você encontre no Youtube. Eu tinha visto lá uma vez, mas como volta e meia deletam um monte de vídeos, não sei se ainda tem. Ou no Dailymotion. Se encontrar em qualquer um dos dois, dá para baixar pelo http://pt.savefrom.net/

      Eu dei uma fuçada no google, e achei esses links. Não sei se são confiáveis; eu não tentei baixar, mas se você conhecer os servidores, pode dar uma olhada:

      (Para download)
      http://torrentzcd.com/dc15b1fc750e25d2f93529c09f98a8a302230cb0/Sai-de-baixo-Temporada-7-Episodios-1-a-14.torrent

      http://www.movie-stream.sk/series/693337-rebu-de-natal

      http://minhateca.com.br/EvertonSouzaTP/S*c3*a9ries/Sai+de+Baixo/Sai+de+baixo-Temporada+7-Episodios+1+a+14/Sai+de+Baixo+7x01-+Rebu+de+Natal%28240p_H.264-AAC%29,439132792.mp4%28video%29

      (Para assistir online)
      http://vodlyto.eu/tv-5021073-sai-de-baixo/season-7-episode-1

      http://www.mrpiracy.xyz/serie.php?imdb=tt0142049&e=1&t=7#0

      Espero ter ajudado.
      E obrigada pela visita ;)

      Excluir

Obrigada pela visita!
E já que chegou até aqui, deixe um comentário ♥
Se tiver um blog, deixe o link para que eu possa retribuir a visita.