Conheçam Meus Livros

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Quem é o Cantor?!



Dezembro é um mês de retrospectivas, e esse retrospecto me fez lembrar uma lista que eu tinha preparado de possíveis assuntos para o blog, que, por alguma razão, continuam somente no projeto. Daí, verificando a lista, eu encontrei esse assunto que nos leva a mais uma retrospectiva interessante: a das canções que grudaram em nossas cabeças, e acabaram fazendo mais sucesso que seus intérpretes.
Sabe aquelas canções que a gente canta sempre que ouve, ou lembra por qualquer ou nenhum motivo, mas, não raramente, não sabemos ou não lembramos de quem é, ou, no mínimo, não fazemos ideia de que fim levou o artista? Então... É disso que vamos falar, dos famosos "one-hit wonders": os artistas de um único sucesso.
Dava para fazer uma lista bem longa, mas aqui relacionei apenas onze (que, na verdade são quatorze, como perceberão), que, na minha opinião, são os One-hit Wonders brasileiros mais marcantes, ou que têm uma história mais legal – ou que me remetem a uma história mais legal.



Enfim, vamos em ordem cronológica.

Menina Veneno (Ritchie)



Só ela teve um abajur cor de carne para combinar com seu lençol azul. E Ritchie só teve essa Menina Veneno para justificar seu nome no cenário musical brasileiro.
Nascido lá na terra da Rainha, Ritchie veio para o Brasil em 1972, com alguns amigos que conheceu na Alemanha, entre eles, a cantora Rita Lee. Mas foi só em 1983 que ele estourou nas rádios nacionais, cantando sobre a Menina Veneno que tinha “um jeito sereno de ser”. Ele até lançou outras músicas, mas nenhuma grudou tanto na cabeça das pessoas quanto esta. Apesar de seus 40 anos de carreira, o fato de pouco se saber sobre ele, exceto quando ele aparece como convidado especial no Globo de Ouro Palco Viva cantando seu eterno sucesso, talvez prove que ele tinha razão quando disse que "o mundo era pequeno demais para os dois..." Sua Menina Veneno permaneceu no imaginário musical brasileiro, mas o mundo aparentemente era pequeno demais para que ele permanecesse com ela.



Menina Veneno
Meia noite no meu quarto
Ela vai subir
Ouço passos na escada
Vejo a porta abrir

Um abajur cor de carne
Um lençol azul
Cortinas de seda
O seu corpo nu

Menina veneno
O mundo é pequeno
Demais pra nós dois
Em toda cama que eu durmo
Só dá você, só dá você
Só dá você!
Yeh! Yeh! Yeh! Yeh!

Seus olhos verdes
No espelho
Brilham para mim
Seu corpo inteiro
É um prazer
Do princípio ao sim

Sozinho no meu quarto
Eu acordo sem você
Fico falando pras paredes
Até anoitecer

Menina veneno
Você tem um jeito
Sereno de ser
E toda noite
No meu quarto
Vem me entorpecer
Me entorpecer!
Me entorpecer!
Yeh! Yeh! Yeh! Yeh!

Menina veneno
O mundo é pequeno
Demais pra nós dois
Em toda cama que eu durmo
Só dá você, só dá você
Só dá você!
Yeh! Yeh! Yeh! Yeh!

Meia noite no meu quarto
Ela vai surgir
Eu ouço passos na escada
Eu vejo a porta abrir

Você vem não sei de onde
Eu sei, vem me amar
Eu nem sei qual o seu nome
Mas nem preciso chamar

Menina veneno
Você tem um jeito
Sereno de ser
E toda noite
No meu quarto
Vem me entorpecer
Me entorpecer!
Me entorpecer!
Yeh! Yeh! Yeh! Yeh!

Menina veneno
Menina veneno
Yeh! Yeh!
Menina veneno
Menina veneno
Yeh! Yeh!

Composição: Ritchie / Bernardo Vilhena




Noite do Prazer (Banda Brylho)



Este é, literalmente, o único hit da Banda Brylho, lançado em seu álbum de estreia em 1983. A banda foi encerrada três anos depois, sem emplacar mais nada, mas legaram ao mundo um dos mais divertidos virunduns da música brasileira (quando você ouve uma coisa, e entende outra), no trecho: “Na madrugada a vitrola rolando um blues, tocando B-B King sem parar...” o público entendia “trocando de biquíni sem parar”. Aliás, é possível que esse fato seja o que tornou a música e, consequentemente, a banda, inesquecível.



Noite do Prazer
A noite vai ser boa... de tudo vai rolar, vai rolar
De certo que as pessoas querem se conhecer
Se olham e se beijam numa festa genial

Na madrugada a vitrola rolando um blues
Tocando B. B. King sem parar
Sinto por dentro uma força vibrando, uma luz
A energia que emana de todo prazer

Prazer em estar contigo... um brinde ao destino
Será que o meu signo tem a ver com o seu
Vem ficar comigo depois que a festa acabar

Composição: Claudio Zoli




Erva Venenosa e Amante Profissional (Herva Doce)



Na verdade, essa menção vale somente pelos refrãos. E, correndo o risco de soar pretensiosa demais, me atrevo a dizer que essa é uma banda que ficou famosa por emplacar dois “meio sucessos”.
Vou explicar. A banda Herva Doce (sim, com H!) teve dois momentos de sucesso:



O primeiro foi em 1982, com Erva Venenosa, que falava de uma mulher que era pura maldade. Acho que todo mundo lembra do refrão “Venenosa ÊH, ÊH, ÊH... Erva venenosa ÊH, ÊH, ÊH... É pior do que cobra cascavel, seu veneno é cruel-el-el”. Agora, eu pergunto: alguém se lembra de mais algum trechinho da música. Eu confesso que não.






E o segundo momento foi em 1985, quando a banda lançou Amante Profissional. Essa música (meio ridícula, na verdade) sempre toca na minha cabeça quando vejo o time da Udinese entrar em campo no Campeonato Italiano. Mais precisamente quando ponho os olhos no goleiro grego Orestis Karnezis (minha definição de deus grego, se me permite o trocadilho). Particularidades e ridicularidades a parte, a declaração de que essa música é um clássico dos one-hit wonders brasileiros, se comprova principalmente pelo fato de estar sendo mencionado por alguém que ainda não estava nem nos planos dos pais quando a música estourou, e que até dar uma busca no Google, não fazia ideia de quem tinha lançado o refrão que hoje dedico ao meu goleiro (grego) favorito (que não é o cara da foto acima): "Moreno alto, bonito e sensual...". E que também – sou obrigada a confessar – não fazia ideia de que era a mesma banda que lançara Erva Venenosa – que eu conhecia através da regravação da Rita Lee.
Enfim, seja lá quem tenham sido os componentes da banda Herva Doce, não emplacaram nenhuma outra música na lembrança do público. A banda acabou em 1987, e, talvez o resto do repertório fosse tão enjoativo quanto o chá que mais ou menos dá nome à banda.
E por se tratarem de duas músicas em que, praticamente, só os trechos mencionados valem a pena, me abstenho de transcrever as letras.

Erva Venenosa






Amante Profissional

  




Escrito Nas Estrelas (Tetê Espínola)



Uma das interpretações mais impagáveis dessa música é feita pelo meu pai, quando ele afina a voz, troca "sol" por "sonho", e manda ver no refrão "você pra mim foi um sonho, de uma noite sem fim...". Juro! Pena que nunca tenho um celular na mão quando ele paga esse mico, ou o vídeo estaria no YouTube a uma hora dessas. Mas enfim, o hit de 1985, composto por Arnaldo Black, marido da cantora, com Carlos Rennó, se tornou um clássico dos Karaokês, e me atrevo a dizer, pela quantidade de homens (esqueça a orientação sexual; nesse caso não faz diferença) que afinam a voz para alcançar os agudos de Tetê Espíndola e arrancar gargalhadas dos amigos e parentes em churrascos pelo Brasil afora, acho que dá mais ou menos para dizer que essa canção é o "I Will Survive" brasileiro. Como eu disse, esqueçam a orientação sexual das figuras; quase sempre a culpa é da cerveja!

Escrito Nas Estrelas
Você pra mim foi o sol
De uma noite sem fim
Que acendeu o que sou
E renasceu tudo em mim

Agora eu sei muito bem
Que eu nasci só pra ser
Sua parceira, seu bem
E só morrer de prazer

Caso do acaso
Bem marcado em cartas de tarôt
Meu amor, esse amor
De cartas claras sobre a mesa
É assim
Signo do destino
Que surpresa ele nos preparou
Meu amor, nosso amor
Estava escrito nas estrelas
Tava, sim

Você me deu atenção
E tomou conta de mim
Por isso minha intenção
É prosseguir sempre assim
Pois sem você, meu tesão
Não sei o que eu vou ser
Agora preste atenção
Quero casar com você

Composição: Carlos Rennó e Arnaldo Black





O Amor e o Poder (Rosana - ou Rosanah Fienngo, como preferir)



Outra figura recorrente do Globo de Ouro, Rosana gravou seu nome eternamente no cenário musical brasileiro em 1987, quando O Amor e o Poder se tornou trilha sonora de Jocasta (Vera Fisher) na novela Mandala, da TV Globo – e, posteriormente, a trilha sonora da vida de Vera Fisher: aonde quer que a atriz vá, o refrão “Como uma deusa...” a acompanha.
A canção era uma versão de "The Power of Love", cantada pela americana Jennifer Rush, e já foi gravada em diversos idiomas, incluindo alemão, holandês, tcheco, sueco e romeno.

O Amor e o Poder
A música na sombra,
O ritmo no ar
Um animal que ronda
No véu do luar
Eu saio dos seus olhos
Eu rolo pelo chão
Feito um amor que queima
Magia negra
Sedução

Como uma deusa
Você me mantém
E as coisas que você me diz
Me levam além
Aqui nesse lugar
Não há rainha ou rei
Há uma mulher e um homem
Trocando sonhos fora da lei

Como uma deusa
Você me mantém
E as coisas que você me diz
Me levam além
Tão perto das lendas,
Tão longe do fim
A fim de dividir
No fundo do prazer
O amor e o poder

A música na sombra
O ritmo no ar
Um animal que ronda
No véu do luar

Tão perto das lendas,
Tão longe do fim
A fim de dividir
No fundo do prazer
O amor e o poder

Como uma deusa
(Me leva amor)
Você me mantém
(Longe do fim)
E as coisas que você me diz
Me levam além
Tão perto das lendas,
(Me leva amor)
Tão longe do fim
(Longe do fim)
A fim de dividir
No fundo do prazer
O amor e o poder

Composição: Claudio Rabello / C. de Rouge / J. Rush / M. S. Applegate / G. Mende





Quatro Semanas de Amor (Luan e Vanessa)



Quando Pedro & Thiago apareceram com essa música melosa, eu sabia que já tinha ouvido essa bagaça em algum lugar. Mas não liguei o nome à pessoa. Nem tinha como. Quando a dupla Luan & Vanessa lançou esse hit – único sucesso de seu único LP – em 1990, eu ainda não fazia a menor ideia de que estava no Brasil. Ou no mundo, falando nisso, tão pequeno que era esse ser humano que vos fala. E, pensando bem, analisando os versos pieguíssimos que compõem esse único sucesso da dupla, dá para entender porque não houve um segundo hit.
Um detalhe interessante é que Quatro Semanas de Amor é uma versão de “Sealed with a Kiss”, gravada originalmente pela banda americana dos anos 1960 The Four Voices, de quem eu nunca tinha ouvido falar até esse momento.
E, a julgar pela carreira de Pedro & Thiago, que regravaram a canção, parece que a praga pega! Então, cuidado, caso você seja músico e esteja pensando em regravar o One-hit Wonder de alguém.

Quatro Semanas de Amor
Foi um sonho de verão,
Numa praia,
Quatro semanas de amor
Em noites de luar,
Sob a luz das estrelas,
Eu e você

O seu nome eu escrevi
Na areia
A onda do mar apagou
Em cada pôr de sol
A saudade incendeia
Meu coração

Te amo
Não me esqueça
O sonho não acabou
Eu vou ficar te esperando
Não quero dizer adeus

Sem você eu vou ficar
Tão sozinho
Quando o inverno chegar
Mas quando o sol nascer
Vai ser tão lindo
Eu e você

Composição: Gary Col / Peter Udell - Versão: Carlos Colla





Palpite (Vanessa Rangel)



A ex-cantora Vanessa Rangel teve um bom Palpite quando decidiu tirar suas composições da gaveta e lançar um CD. Sua música mais famosa foi trilha sonora de Carolina Ferraz e Eduardo Moscovis na novela Por Amor, da TV Globo, em 1997, e, possivelmente o hino oficial da dor de cotovelo naquele ano. Infelizmente, foi o único sucesso da cantora, que, depois de experimentar o sucesso nacional, teve outro bom palpite, e retomou a carreira de advogada.
E vale ressaltar que uma versão muito bacana da música foi lançada num comercial da Schin durante a Copa do Mundo de 2014.
Confira a letra da paródia:
“Tô com saudade de prever, sou palpiteiro torcedor
Discordo do time inteiro do professor
Quatro volantes outra vez, vai dar um nó
E aí, eu discuto com a TV
De futebol eu sei mais que você; palpite”




Particularmente, acho a música bonita, mas simpatizo mais com a versão da Schin!

Palpite
Tô com saudade de você
Debaixo do meu cobertor
E te arrancar suspiros
Fazer amor

Tô com saudade de você
Na varanda em noite quente
E o arrepio frio
Que dá na gente

Truque do desejo
Guardo na boca
O gosto do beijo

Eu sinto a falta de você
Me sinto só
E aí! Será que você volta?
Tudo à minha volta é triste
E aí! O amor pode acontecer
De novo pra você
Palpite!

Tô com saudade de você
Do nosso banho de chuva
Do calor na minha pele
Da língua tua

Tô com saudade de você
Censurando o meu vestido
As juras de amor
Ao pé do ouvido

Truque do desejo
Guardo na boca
O gosto do beijo

Eu sinto a falta de você
Me sinto só
E aí! Será que você volta?
Tudo à minha volta
É triste
E aí! O amor pode acontecer
De novo pra você
Palpite!

Composição: Vanessa Rangel





40 Graus (Twister)



A banda formada por cinco rapazes de Campinas alcançou sucesso meteórico em 2000 com o hit 40 Graus. Vendeu 250 mil cópias do disco, grudou feito chiclete nos ouvidos dos jovens brasileiros, mas dois anos depois a banda se separou.
Pessoalmente, me lembro ainda de um segundo hit da banda que ficou grudado – pelo menos na minha cabeça –, a canção Se Um Dia Eu Tiver Você.
Ok, era uma banda que provavelmente só faria sucesso entre adolescentes, mas é uma pena que não tenha dado certo. Tinha mais potencial que o Br'oz.

40 Graus
Yeah, yeah
Nada mal

A cada dia, a cada vez
Que eu te vejo ali no play
Eu fico tonto, eu fico mal
É claro que nada é igual

Como se eu andasse no sol sem chapéu
Como se meus dedos tocassem o inferno e o céu
Por trás do meu óculos Ray-Ban
Eu te vejo todas as manhãs
Todas as manhãs... Todas as manhãs...

Meu amor, esse amor
Dá quarenta graus de febre
Queima pra valer... Queima pra valer...
É assim como o sol
Derretendo toda a neve
Dentro de você... Dentro de você...

Queria tanto poder perguntar
Mas a resposta, sua resposta qual será?
Se eu fico mudo eu mesmo digo não

[Refrão]

OK, OK
Só mais uma vez

Ando assim até o fim da street
E você me olha mais sweet
Os seus olhos são quase um mar
Que eu queria tanto mergulhar

Sei que isso é um drama
Que eu estou exagerando
Mas não é assim que age
Quem tem esses anos?
Até eu ter coragem de dizer
Que eu quero, que eu quero você
Que eu quero você, que eu quero você

[Refrão]

Mas a resposta não sei qual será
Queria perguntar

Composição: Rubén Habanera Plácido - Versão: Claudio Rabello





E como o segundo hit que lembrei da banda também era bom, vamos incluir na lista:



Se Um Dia Eu tiver Você
Ela me olha um olhar gelado,
Ou faz de conta que não me vê
Eu que nem sei qual é o seu nome,
Senti que o coração balançou
Volto pra casa com frio e sem fome,
Deito na cama como eu estou
Um gato que não cabe no cio,
Com um sonho que não enche o vazio

Queria ser importante,
Te mandar flores, bombons e poesia
Ou fazer coisas que ninguém fez...
Quando apagassem as luzes,
Vê-se nas sombras a luz que ninguém vê
Pagar o preço que o amor valer...
Dentro de mim

Se um dia eu tiver você,
Embrulhada em meus braços,
Esperando um carinho
Terei toda companhia que eu sempre pedi,
Que eu quero e preciso
Se um dia eu tiver você,
Se um dia eu tiver você...

Não faça de um grande amor, um sonho,
Que tudo será verdade, um dia
Quem não desiste, que tudo consegue,
Por isso é que você vai ser minha (ó mamma mia)
O que ontem era distante tá perto,
Só é preciso acreditar
Vê se cai na minha armadilha,
Que a vida será maravilha

Composição: Renato Zero / Carlos Toro Montoro / Danilo Riccardi





Papo de Jacaré (P.O. Box)



Provavelmente o maior one-hit wonder da história da música brasileira seja essa canção da banda goiana P.O. Box. Lançada em 2000, eu me lembro que esta foi a trilha sonora oficial de ida e volta no transporte escolar que eu utilizava naquele ano. A gente ia para a escola cantando Papo de Jacaré, e voltava cantando Papo de Jacaré. Estava difícil de enjoar dessa música nada a ver.
E, no ano seguinte, como "um sucesso do ano passado incomoda muita gente", quando a sala caía naquele silêncio que é o sonho de consumo de todas as professoras na aula de matemática, tinha sempre uma pessoa muito simpática (leia-se moi!) sentada lá no fundão, que, de repente, e sem prévio aviso, puxava a galera pra bagunça iniciando o refrão: "Vou te bater uma real, vou dizer que sou o tal...". Em um segundo a sala inteira começava a cantar, ao ritmo dos batuques nas carteiras, deixando a aula mais animada, e a professora extremamente irritada.
#VivaGaleraDoFundão!
Aliás, pensando nisso agora, foi mal Goiabinha! Quero dizer, querida professora de matemática cujo nome não consigo mais me lembrar, mas deve reconhecer o apelido...

Papo de Jacaré
Olha, eu não vou caê rê! (4x)
Rê! Rê! Rê! Rê! Rê! Rê! (4x)
Tchau! Tchau!

Tô viajando na onda dessa menina
Que dá aula de inglês
Toma vinho português
E vive rindo da minha ignorância
Mas a minha tolerância
Vai fundir a sua cuca...

Vou te bater uma real
Vou dizer que sou o tal
Bater um papo no café
É papo de jacaré
Mas vê se fala por favor
A minha língua
Que já tem até uma íngua
Por causa do seu inglês
Tchau! Tchau! Tchau! Tchau!...

Eu não sei falar
Também não sei entender
Sou só só só suburbano
Sou latino-americano...

Sei quem é fulano

Mas não sei quem é sicrano


E o seu inglês
Fica pegando no meu pé...

[Refrão]

Diz aí!

Diz que vai me ensinar
Então diga como é?...(4x)

Tchau! Tchau! Tchau! Tchau!...

E o que é essa garota
Tá querendo me dizer?
I love meu chuchu
Merci beaucoup
Meu chuchu, isso é francês
E não inglês...(2x)

-Não, não, não
Eu não quero mais não
-Oh, boy, take it easy, relax
-Sai pra lá, eu desisto eu desisto
-Oh, come on, i'm going to teach you
-O que é? você sentiu?
Ó você sentiu não
-Oh, no, you are my puppet, come on
-Não, não, eu não tô ficando doido!...

Rê! Rê! Rê! Rê! Rê! Rê! Rê! (4x)
Tchau! Tchau! Tchau! Tchau!
Olha, eu não vou caê rê! (4x)

Composição: Rivanil / Carlinho Santos






Prometida (Br’oz)




Formada em 2003 no programa Popstar, pelo SBT, a boyband não chegou a ser encantadora, mas fez sucesso com o primeiro álbum. Até acho que Vem Pra Minha Vida, do segundo disco era mais bonita, mas, com a separação da banda em 2005, só ficou a Prometida (versão de Rick Bonadio de Fruta Fresca, do cantor colombiano Carlos Vives) na memória das pessoas.

Prometida
Esse beijo da tua boca tem sabor de fruta fresca
O toque dos teus lábios não sai da minha cabeça
Esse beijo com que sonho quando a brisa me refresca
Que me leva até o céu e à terra me regressa
Minha alma reza e reza, mas sei que não tenho cura
A lembrança do teu beijo quase me leva à loucura

Sim, sim, sim
Esse amor é tão profundo
Você é minha prometida, eu vou gritar pra todo o mundo

Você é minha prometida, a menina dos meus olhos
Quem me adoça a vida, quem afugenta meus medos
A mais linda das mulheres, a mais bela dentre as flores
A fortuna que eu espero num arco-íris de cores

[Refrão]

E que digam nos jornais que eu te quero de verdade
Nas rádios, na novela e em toda parte da cidade
Vai estar num outdoor, como você não há nenhuma
Que digam em toda China, que digam até na lua

[Refrão]

Guararé, guararé, guararé, guararé, guararé
Guararé, guararé, nunca esqueça que eu não te esquecerei

[Refrão]

Composição: Rick Bonadio





E, como eu disse, eis a minha preferida do grupo, embora não tenha sido a mais famosa; mas vale relembrar:



Vem Pra Minha Vida
Boa noite!
Era só uma menina e nada mais
Depois de cinco minutos
Era alguém especial.

Sem palavras, foi tão forte
O que nasceu dentro de mim.
Em teus olhos eu vi as cores
E o tempo que eu perdi...

Passa o dia eu conto as horas
E não posso te esquecer.
Tento achar um pensamento,
Mas só lembro de você.

Sinto algo, tão profundo
Que não tem explicação.
Não há lógica que entenda
O que vem do coração.

Vem pra minha vida,
Vem viver a meu lado.
Sem teu abraço
Já não posso mais ficar.
Vem pra minha vida,
Eu te convido.
Eu não sabia o que era amar
Agora não sei mais viver sozinho...

Boa noite!
Tudo muda e eu queria te falar:
Depois que te conheci
Não posso voltar atrás.

Sem palavras, é tão forte
E já tomou conta de mim.
E o meu coração
Nunca bateu tão forte assim...

[Refrão]

Vem pra ser minha,
Me cura a alma,
Abre seus braços logo
E me deixa entrar...

[Refrão]

Eu não sabia o que era amar
Agora não sei mais viver sozinho...

(Composição: Wagner E. Paulo)





Tô Nem Aí (Luka)



Não sei o que é mais espantoso: se o sucesso estrondoso da música – dentro e, principalmente, fora do Brasil – em 2003, ou saber que o hit tinha um dedinho do Latino... Seja lá como for, Tô Nem Aí grudou nos ouvidos de geral naquele verão, virou o melô dos marrentos – sobretudo daqueles que tinham acabado de dar ou levar um pé na bunda –, e Luka até tentou repetir o feito com Porta Aberta, mas aparentemente, o raio não cai duas vezes no mesmo lugar, porque desta vez ela não encontrou muitas "portas abertas", e ninguém estava mais nem aí pra ela...

Tô Nem Aí
De mãos atadas, de pés descalços
Com você meu mundo andava de pernas pro ar
Sempre armada, segui seus passos
Atei seus braços pra você não me abandonar

Já nem lembro seu nome
Seu telefone eu fiz questão de apagar
Aceitei os meus erros, me reinventei e virei a página
Agora eu tô em outra

Tô nem aí, tô nem aí
Pode ficar com seu mundinho
Eu não tô nem aí
Tô nem aí, tô nem aí
Não vem falar dos seus problemas
Que eu não vou ouvir

Boca fechada, sem embaraços
Eu te dei todas as chances de ser um bom rapaz
Mas fui vencida pelo cansaço
Nosso amor foi enterrado e descansa em paz

Composição: Luka / Latino





Bem, por hoje é só. Lembrou de mais algum One-hit wonder legal e quer compartilhar com a gente? Deixe aí nos comentários. *-*



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
E já que chegou até aqui, deixe um comentário ♥
Se tiver um blog, deixe o link para que eu possa retribuir a visita.