Conheçam Meus Livros

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

10 Momentos Inesquecíveis de Supernatural



A fantástica história de dois lindos irmãos caçadores de monstros, que passam a vida na estrada, procurando encrenca onde quer que escutem um boato de que há atividade sobrenatural, dirigindo um Impala negro que deve impor respeito até parado no sinal vermelho, invadindo casas assombradas, exterminando fantasmas, bruxas, anjos, demônios, vampiros, lobisomens, fadas, duendes, leviatãs, deuses malucos de mitologias pagãs, médiuns, psíquicos, monstros das mitologias orientais e o diabo a quatro. Literalmente, o diabo a quatro! Já passou tanto monstro nessas onze temporadas e meia da série que fica difícil relacionar todos numa lista. Está mais para uma enciclopédia. E apesar de alguns episódios bizarros, Supernatural segue firme e forte na 12° temporada, sem ameaças de cancelamento e sem jamais perder o rebolado – algo que não é muito comum em séries de fantasia, que geralmente perdem qualidade depois de três temporadas. Tomem como exemplo The Vampire Diaries – que já foi superada em qualidade pelo spin-off The Originals há muito tempo – e Once Upon a Time, para citar apenas séries recorrentes aqui no blog.
Mas qual é o segredo da longevidade do sucesso de Supernatural? Saber dosar a temporada, incluindo um pouco de cada coisa: tem os episódios mais “assustadores” – aqueles com nível mais alto de terror –, os monstros de sempre – anjos e demônios e seus dramas existenciais –, aqui ou ali um fantasma pirado para dar uma temperada nas coisas, e as comédias sobrenaturais. Porque, afinal de contas, nem só de criaturas assassinas ou apavorantes vive o mundo sobrenatural.
A alta rotatividade de elenco de apoio também pode ser um fator que colabora para o sucesso da série, pois sempre traz novos rostos e novos personagens à história, e permite trabalhar o pequeno elenco fixo sem deixar ninguém de lado ao longo da temporada, e sem colocar ninguém como figurante em cena – entendeu, Once Upon a Time? Aprendam como é que se faz as coisas!
Por exemplo: neste momento, o elenco fixo de Supernatural é constituído de cinco atores: Jensen Ackles (Dean Winchester), Jared Padalecki (Sam Winchester), Samantha Smith (Mary Winchester), Micha Collins (Castiel Winchester) e Mark Sheppard (Fergus... Digo, Crowley!). Eventualmente, Ruth Connell também aparece no papel da bruxa Rowena, que sempre foi mais recorrente do que fixa nessa história. Sim, eu sei que o personagem Lúcifer também é fixo nessa temporada, mas vários atores dão rosto ao diabo, então, não entra na conta.
E claro, contribui muito para o sucesso a consistência dos personagens principais. Dean com seu sarcasmo e carisma impagáveis; Sam com aquele jeitinho “santo até que o conheçam”; Castiel com sua moral, sua ingenuidade e seu amor platônico pelo Dean; Crowley com aquela postura “me respeitem que eu sou o rei do inferno, mas sou legal demais para administrar aquela bagaça pessoalmente”; e Rowena, a bruxa que tenta ser má, mas que se passa fácil por uma tia maluca que faz bolinhos de chuva com sal em vez de açúcar e pimenta no lugar da canela. Sim, eu a vejo como uma simpática tia meio doida, me processem. De mamãe Winchester não há muito a ser dito, considerando que ela passou pouco tempo fixo na série. Por enquanto ela está parecendo a mãe da Caroline Forbes, de TVD: a xerifona, tentando entender como foi que o circo dos horrores invadiu sua cidade, mas pronta pra briga, caso alguma entidade esquisita ameace suas crias. Ou por aí...


Enfim, Supernatural é o tipo de série que não dá para fazer a review de todas as temporadas. Esporadicamente, pretendo resenhar alguns episódios aleatórios, mas há alguns acontecimentos de episódios que não estão na minha lista de planos para o blog, com cenas que valem muito a pena relembrar. Não necessariamente nessa ordem.


1. Dean desmunhecando na famosa cena do gato


No 6° episódio da 4° temporada, “Febre Amarela” (Yellow Fever), Sam e Dean investigam o caso de vários homens que aparentemente morreram de susto. Ao visitar uma das vítimas no necrotério, Dean acaba infectado pela “doença” que os matou, e começa a ter medo até da própria sombra. A doença, conhecida como “o mal do fantasma” supostamente só afeta os brigões, eis o motivo porque Sam não foi afetado. Enquanto procuram uma maneira de se livrar do fantasma que desencadeou a doença, Dean protagoniza uma cena que entrou para o imaginário dos fãs da série: a famosa cena do gato. Os irmãos abrem um armário na oficina do defunto, um gatinho que ali dormia muito tranquilamente pula lá de dentro, assustando Dean, que grita que nem mulher quando passa uma barata voando.


Como diria Severino: isso é uma bichona!
Foi mal, Dean, mas pareceu, rs.



2. O SAC super organizado dos caçadores
Quem precisa de telefonista e ramais intermináveis, quando se tem Bobby Singer, quarenta números de telefone cadastrados e identificados pelo etiquetador do Sheldon Cooper, e um cartão de visitas para cada necessidade?
Mais legal ainda é ver Bobby bancando o manda-chuva do FBI de Washington DC e mandando o sujeito parar de encher o saco, enquanto vira um filé de frango na frigideira. Mais hilário que isso, impossível.
14° episódio da 4° temporada “Sexo e Violência” (Sex and Violence).

3. Simple Life é o Botox! Eu vou é descer o sarrafo num Winchester!
Aquele momento em que Dean Winchester toma uma surra da Paris Hilton! Isso aconteceu no 5° episódio da 5° temporada “Ídolos Caídos” (Fallen Idols), quando ela apareceu como a personificação de um deus de uma floresta da Europa Ocidental, destruída para a construção de uma fábrica, que assumia a forma dos ídolos das pessoas para matá-los, devorar parte de seu corpo, e plantar sementes das árvores de sua floresta devastada em seus estômagos. Agora pensa no lado bizarro da coisa: a entidade mata o cidadão, e planta uma semente na barriga dele, porque sabe que alguém vai enterrá-lo. Ou seja, o cidadão vira adubo pra semente! Se essa árvore der fruto, ele vem adoçado pelo cidadão em decomposição. Pois é... Eca! Agora tenta esquecer essa imagem...
Mas não é essa a parte importante do episódio. Depois de assumir a forma do Abraham Lincoln, do James Dean, e até do Gandhi – e aqui também cabe uma observação: imagine o Gandhi, aquele cara da paz, extremamente espiritualizado, frugívoro, tentando comer o fígado do Sam... Literalmente! E sem cebola –, a entidade resolveu assumir a forma da Paris Hilton. Porque não basta ser uma divindade falida que ninguém mais lembra, tem que se transformar numa pseudo-celebridade cujo feito mais interessante foi ser presa alcoolizada! Não tá fácil pra ninguém, gente...
Mas quando Paris ameaçou se transformar em John Winchester, o ídolo de Dean, antes de jogá-lo na panela e, literalmente, comer o bonitão – no sentido digestivo da coisa –, ele virou no Jiraya, partiu pra cima da vadia, e... Tomou a maior surra! Ei, Dean, não sei se te avisaram, mas essa Paris aí é o primo desconhecido do Thor! Se não fosse Sam conseguir se soltar das cordas, agarrar o machado de ferro e cortar a cabeça da socialite patricinha, a essa hora, Dean Winchester estaria sendo extraído do culote de Paris Hilton através de uma lipo.


4. Sam e Dean versão Salsicha e Scooby Doo


Esse talvez eu até faça a review completa no futuro, porque foi muito engraçado. No 8° episódio da 5° temporada, “Trocando de Canal” (Changing Channels), quando se deparam com um novo Brincalhão – aquela entidade esquisita que gosta de matar Dean incontáveis vezes, e das maneiras mais bizarras possíveis –, os irmãos Winchester são jogados num universo paralelo de séries e comerciais de TV, e precisam entrar no espírito da brincadeira para se livrar da criatura. Daí vocês podem escolher qual foi a parte mais hilária:


* O clipe de abertura que mistura Friends, Três é Demais, Scooby-Doo e outras séries e desenhos clássicos;

Scooby-Dean! Cadê o Sam, meu filho?!

* O sanduíche de novecentos andares do Dean – provavelmente roubado da lancheira do Salsicha e do Scooby;


* O comercial de pomada para gonorreia do Sam;


* Ou o diálogo super natural (se me permitem o trocadilho) do início do episódio:


Um dia perfeitamente normal na vida dos irmãos Winchester...


Ah, é... E também tem essa cena: o motivo porque nenhuma de nós terá filhos com o Sam. Paciência, meninas. Vamos ter que nos virar com o Dean... rs



5. O sexo dos anjos


Que o Castiel tem tendência a rezar do lado errado do terço, todo mundo sabe, mas no 15° episódio da 6° temporada “Outro Universo” (The French Mistake), quando os irmãos Winchester são enviados para um universo paralelo onde são astros de uma série de TV chamada Supernatural, Misha Collins, interpretando ele mesmo, deu uma escorregadinha na porta do armário, revelando traços de uma camisa do São Paulo FC por baixo do sobretudo – no caso desse episódio, debaixo do blusão de tricô azul –, ao chorar histericamente quando foi enquadrado por Virgílio num beco. Na verdade, ele pareceu meio boiola o episódio inteiro postando aquelas frases bobas no Twitter.


6. Em briga – sinistra – de marido e mulher, não se deve meter a colher, meninos...
No 5° episódio da 7° temporada “Cala a Boca, Dr. Phil” (Shut Up, Dr. Phil), Sam e Dean apanham que nem cachorro doido quando se envolvem numa DR dos infernos com um casal de bruxos milionários de mais de 800 anos. Maggie Stark (Charisma Carpenter) estava desconfiada de que seu marido Don (James Marsters) estava pulando a cerca e começou a distribuir moedinhas amaldiçoadas para as pobres coitadas com quem ele supostamente a traíra, levando-as a sofrer mortes bizarras – cabeça frita pelo secador de cabelo em um salão de beleza, atacada por um coração palpitante dentro de um muffin, e por aí vai... Até que o marido resolveu retaliar matando a assistente pessoal da esposa em sua própria galeria de arte, decapitando-a com a bandeja de salgadinhos do buffet.
Sam e Dean já deviam saber a essa altura sobre o perigo de se envolver em briga de casais – principalmente quando esse casal está chapado de magia negra e as únicas armas deles para se defender são uma galinha morta, os feitiços do livro do Bobby e a terapia barata da psicóloga de Casos de Família.
Depois de darem uma surra daquelas nos rapazes, os pombinhos finalmente chegam a um denominador comum ao admitirem que matariam a cidade inteira para descontar sua raiva, porque não tinham coragem de matar um ao outro.
Vocês também não acham o amor verdadeiro uma coisa linda? Rs.


7. Sam bancando o gigolô com as ricaças
No 6° episódio da 10° temporada “Pergunte Ao Mordomo” (Ask Jeeves), Sam e Dean são procurados por um advogado por terem sido relacionados como parentes do falecido caçador Bobby Singer – o saudoso pai adotivo dos meninos –, porque Bobby foi incluído no testamento de uma ricaça. Mas calma, ainda não vai ser dessa vez que os rapazes vão tirar o pé da lama e parar de usar identidades falsas para estourar o limite dos cartões de crédito de terceiros. O que a mulher deixou para o Bobby foi apenas uma chave, que, à primeira vista, parecia mais um crucifixo.


Quando a mansão é atacada por um metamorfo, e os rapazes precisam fazer o teste da prata em todo mundo para descobrir quem é o monstro, Sam aproveita que as filhas da morta estão cheias de saliência para cima dele, para passar a mão – e a faca de manteiga de prata – nas peruas. E nas duas ao mesmo tempo. Porque, de bobas, essas vagabas não têm nada! E nem ele também, convenhamos.


8. Ah, Ordinária!
No 9° episódio da 10° temporada “As Coisas Que Deixamos Para Trás” (The Things We Left Behind), quando finalmente se confrontam, Rowena admite que não faz ideia de quem é o pai de Crowley, porque, segundo ela, na noite em que o concebeu, ela não estava anotando nomes. Parece que estávamos certos em pensar que esse rei do inferno não passa de um filho da...


9. A coisa tem vida própria
No 12° episódio da 10° temporada “Sobre Um Menino” (About a Boy), Dean é sequestrado pela bruxa de João e Maria – porque Supernatural também já teve sua fase de utilizar o enredo de contos de fadas em seu universo –, e ela o transforma novamente num garoto de quatorze anos. Além da tão aguardada cena em que Sam tomaria a chave do Impala das mãos do irmão e assumiria o volante um pouquinho – afinal, com quatorze anos a carteira de motorista de Dean ainda não é válida –, ainda ouvimos sua confissão constrangida e bem-humorada a respeito da falta de controle, digamos, gravitacional em sua anatomia. Em outras palavras, a bruxa apertou o modo “ebulição” nos hormônios de Dean.


10. Heil Hitler é o caramba!
Hitler está de volta. No 5° episódio da 12° temporada “Aqueles Que Vocês Esperavam” (The Onde You’ve Been Waiting For), o cidadão mais diabólico que já pisou no planeta Terra arrumou um jeito de manter sua alma presa num antigo relógio de bolso nazista – tipo tio Voldy com as Horcruxes –, e, em pleno século XXI, um de seus seguidores, que conseguiu se manter vivo por décadas graças à necromancia praticada pelos nazistas, decidiu se tornar hospedeiro do diabo.
Para isso ele sequestrou uma descendente de Hitler para fazer uma transfusão do sangue do Reich em seu corpo e poder hospedá-lo. O engraçado é que, reza a lenda que Hitler era chegado numa farinha e outras drogas da época, como opiáceos (heroína, por exemplo), metanfetaminas e barbitúricos, e, pelo visto, ele passou os últimos setenta anos se entupindo dessas paradas, curtindo uma rave muito louca no inferno, porque ele voltou completamente chapado, abraçando todo mundo, e tirando sarro da cara de seus capachos, que não se atreveram a responder como gostariam – apesar de certos olhares traduzirem o pensamento; a mãe sempre leva a culpa por botar esses capetas no mundo, né.
Mas a farra não durou muito, pois os irmãos Winchester invadiram o QG do desgraçado, e Dean, espirituoso como ele só, jogou o Hitler reencarnado no chão, apontou a arma para a testa do infeliz e verbalizou o pensamento das milhões de pessoas que se horrorizaram com a história do holocausto: “Heil Hitler é o caramba!” Antes de puxar o gatilho.
E depois passou o resto do episódio se gabando de ter matado Hitler; agora ele vai querer birita de graça pelo resto da vida, prometeu mandar até fazer camiseta. Pois é, nem todo mundo pode se gabar de ter esse feito no currículo...


*Bônus*


We Will Rock You, Dean!
Não faz parte da história da série, mas nos créditos finais de Febre Amarela, a cena do Dean tocando guitarra com a própria perna no teto do Impala ao som de um rock foi inesquecível.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
E já que chegou até aqui, deixe um comentário ♥
Se tiver um blog, deixe o link para que eu possa retribuir a visita.